4 de Julho | Dia da Independência dos EUA

Cultura Americana

4 de Julho | Dia da Independência dos EUA

Andy
Escrito por Andy em 2 de julho de 2019
Junte-se a mais de 500k pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

O dia 4 de julho é um feriado nacional nos Estados Unidos onde o país celebra a sua independência. Essa data tem muita história, e por mais de 200 anos é o feriado mais celebrado pelos americanos. Por mais que esse dia é comumente associado com fogos de artifício, desfiles e churrascos, por trás de toda essa festança existe uma história de guerra e luta.

Desde o princípio, a batalha das colônias norte-americanas contra a Inglaterra foi muito complicada. O que começou com pequenas revoltas de pioneiros que estavam insatisfeitos com a nação mãe acabou se tornando em uma das maiores guerras que os EUA já se envolveu. No texto de hoje, vamos entender a história por trás da Revolução Americana, as pessoas chaves desse episódio, e as tradições atuais de como a data é celebrada.

História das 13 Colônias

No século XVIII, o país Norte-americano não era considerado os Estados Unidos. Na verdade, o que hoje chamamos de estados eram chamados de colônias. Por quase 300 anos, os EUA viam sendo colonizados pela Inglaterra. As 13 colônias do leste dos Estados Unidos eram considerados uma extensão do país mãe. Mas, com o passar dos anos, as diferenças de vida, pensamento e interesses começaram a se desenvolver. Consequentemente, esses sentimentos causaram um rompimento nas relações entre a Grã-Bretanha e a América.

Memorial Day | Conheça esse Feriado Americano

As 13 colônias Norte-americanas estavam cansadas do controle imposto pela Inglaterra e os altos impostos que tinham que pagar. A Grã-Bretanha alegava que os EUA eram responsáveis pelos seus gastos militares, já que eram soldados ingleses que defendiam as colônias. Além disso, os americanos achavam que, uma vez que não tinham membros representados no Parlamento, não deveriam pagar nenhum tipo de imposto para a pátria mãe.

Partindo desse sentimento, os EUA formaram o First Continental Congress (Primeiro Congresso Continental). Esse grupo tinha o intuito de persuadir a Grã-Bretanha a parar com os altos impostos e controle das colônias. Isso não funcionou, e a tensão entre os americanos e ingleses subiu exponencialmente.

Eventualmente, a paciência dos colonos acabou. No dia 19 abril de 1775, as duas nações travaram o primeiro conflito nas batalhas de Lexington e Concord. Esse evento deu o pontapé inicial para a guerra, que ficou conhecida como American Revolutionary War (Guerra Revolucionária Americana).

Guerra e Independência

No decorrer na guerra, foi formado um grupo chamado Sons of Liberty (Filhos da Liberdade). Esse grupo, junto com outros persoganes icônicos como Benjamin Franklin e Samuel Adams, uniram as 13 colônias para lutar contra a Inglaterra. Naquela época, a Grã-Bretanha tinha o exército mais poderoso do mundo, e os americanos sabiam que a vencer a guerra não seria fácil.

No dia 2 de julho de 1776, o Continental Congress elaboraram o Declaration of Independence (Declaração de Independência). Este documento, que foi escrito por Thomas Jefferson, resumia as motivações dos colonos querem sua a independência. Naquela ocasião, o documento foi enviado para ser revisado pelo Congresso. Dois dias depois, no dia 4 de julho, o documento foi aprovado e todas as treze colônias apoiaram o Declaration of Independence. Por mais que a guerra ainda continuaria por mais cinco anos, os Estados Unidos reconhecem o dia 4 de julho de 1776 como a data da independência do seu país.

A partir de então, as colônias Norte-americanas batalharam juntas para conquistarem sua liberdade. Os americanos foram liderados for um general chamado George Washington, que depois da guerra se tornaria o primeiro presidente dos Estados Unidos. Os próximos anos foram marcados por batalhas sangrentas, os EUA ganharam apoio dos Franceses, que mandaram soldados e suprimentos para as colônias.

Finalmente, em 1781, o general George Washinton derrotou o exército inglês em uma confronto final chamado Battle of Yorktown (Batalha de Yorktown). A Grã-Bretanha tinha sido derrotada, e os líderes dos dois países começaram as negociações de paz. No dia 4 de setembro de 1783, as duas nações se reuniram na França para assinarem o Treaty of Paris (Tratado de Paris). Esse tratado dizia que a Inglaterra reconhecia de forma oficial a independência dos Estados Unidos da América.

Esportes Mais Praticados nos Estados Unidos

Tradições e Atualidades

Hoje, o dia 4 de julho é o dia mais patriota dos Estados Unidos. Desde a época da guerra, os americanos celebram esse dia como umas das datas mais significantes da história de seus país. Em 1777, primeiro ano da independência, treze tiros foram disparados em saudação à data. Com os passar dos anos, as celebrações tomaram proporções maiores.

Atualmente, o dia 4 de julho é marcado por paradas e passeatas no país inteiro. Veteranos de guerra, policiais e soldados desfilam pelas ruas americanas. Além disso, bandas tocam o dia inteiro, e de noite acontece um grande show de fogos de artifício.

Esse feriado nacional também é marcado por muito comida. Tradicionalmente, os americanos fazem barbecue com hot dogs e hambúrgueres. Tudo é decorado com as cores da bandeira americana, o tradicional vermelho, branco e azul. Além do mais, as famílias se reunem para passarem o dia juntos. Como o feriado acontece no verão, é muito comum as pessoas se deslocarem para os lagos e praias. Não importa aonde estiver nos EUA, no dia 4 de julho você será sempre rodeado de muita festa.


Referências
https://www.history.com/this-day-in-history/battle-of-yorktown-begins
https://www.history.com/topics/american-revolution/treaty-of-paris
https://www.history.com/topics/holidays/july-4th
https://www.history.com/topics/american-revolution/battles-of-lexington-and-concord

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *